terça-feira, junho 26, 2007

  • Angell
  • Como É A Vida De Uma Lésbica No Irão?

    Faz pouco tempo em que escrevi aqui, algumas linhas sobre Samira e Rauda Morcos. Agora escrevo sobre as palavras de uma refugiada na Europa, de seu nome Taraneh (nome fictício)...
    _____________

    Taraneh é uma refugiada lésbica que vive na Europa. Ela conta pela primeira vez aquilo que passou no Irão. Foi perseguida, presa, torturada física e psicologicamente.; tudo isto por ser... lésbica! O seu sonho é poder tirar as lésbicas do seu país de origem.
    "Se eu pudesse resgataria as lésbicas do Irão e as traria para cá. Faz tantos anos que os nossos gritos não são ouvidos e não conseguem chegar a ninguém".

    Na entrevista ao Uk Gay News, hoje com 48 anos, revela que foi presa várias vezes em Isfahan, enquanto era estudante. Pela primeira vez com 21 anos, porque foi apanhada em flagrante a fazer amor com a namorada no carro. Por esse facto, foi presa durante três meses e expulsa da escola.
    Os pais reagiram; resolvendo arranjar-lhe um casamento com um parente. Este facto levou-a pela segunda vez á prisão; porque foram descobertas cartas de amor, entre ela e a namorada... Com denúncias dos vizinhos, a Guarda Revolucionária levou as duas jovens de casa, vendadas.
    Como as duas ficaram na mesma prisão, Taraneh conta que ouvia os gritos da namorada; que acabou por ser solta; por ser menor. Enquanto ela permaneceu na prisão, sendo torturada, até confessar a sua lesbiandade. Inclusive um tribunal até sugeriu para que cooperasse, denunciando outras lésbicas. Ela recusou, tornando-se assim uma mártir.

    Era torturada pelos homens, que lhe davam chicotadas com ela deitada numa cama e depois a ameaçavam de enforcamento. Finalmente conseguio sair da prisão; graças a uma soma de subornos e fugiu para a Europa; onde permanece há 17 anos.

    Segundo ela, resume a vida de uma lésbica no Irã como: "A mulher lésbica não tem condição de assumir a sua orientação sexual,porque ela não tem leis que a defendam e muito menos a sua voz é ouvida. Não há nenhuma chance".
    _____________________
    Fonte do texto e da foto: Gay 1
    _____________________
    Depois deste relato, só posso dizer que o mundo é insano e governado por loucos! Amar alguém genéticamente igual a nós, pode constituir alguma ameaça para alguém? Por acaso pega-se? É considerado uma anormalidade? Para alguns (muitos infelismente); parece que sim! Que raio de mundo é este em que vivemos? Onde os que matam, torturam, magoam, saem inpunes; e os que amam... são martirizados e despojados da sua dignidade?

    22 Comments:

    Blogger Maria said...

    Este é o Mundo que PRECISA DE SER RENOVADO Minha Querida Amiga.
    É um dever de todos nós, tendo como armas as nossas palavras e acções, tal como tu o fazes que o iremos modificar e assim reconstruir um Mundo justo e digno.
    Acredita que somos poucos mas o que interessa é que a nossa teimosia e crença vai triunfar.
    Beijitos

    1:46 da manhã  
    Blogger Siona said...

    Angell: por incrível que pareça, a Transsexualidade é "legal" no Irão, e os tratamentos clínicos são comparticipados pelo estado. A mudança de nome e sexo legais aparentemente é mais rápida que em Portugal. O único "senão" é que também tens de ser Heterossexual...

    A uma pessoa como eu, eles deixariam-me fazer a transição, e, depois, quando me vissem de mão dada com outra rapariga, podia muito bem ir parar à forca... :|

    2:17 da manhã  
    Blogger Idiota said...

    Fico sempre desmotivado com estas coisas...
    E ainda n�o tenho anti-corpos para estes problemas... (e para tantos...:~)

    Bem, boa luta :)

    Beijo.

    3:09 da manhã  
    Blogger DUCA said...

    Não me admiro nada que no Irão se passem esse tipo de coisas.

    Em Portugal, proliferam homofóbicos que dizem pérolas destas: "... a aceitação tácita por parte dos cidadãos anónimos de que a homossexualidade é natural e normal, tão normal como ser de nacionalidade chinesa ou de religião muçulmana.
    Só que... não é bem verdade... estamos outra vez perante a velha história do lobo disfarçado de cordeiro. Não vale a pena ir muito longe na análise mas pensemos apenas por alguns segundos na tragédia que representa a SIDA, cujas origens – é bem sabido – têm muito a ver com a prática cada vez mais generalizada da sodomia a partir da “revolução sexual” dos anos 60. A responsabilidade pela expansão desta e doutras doenças, mesmo não do foro sexual como as próprias tuberculoses ultra-resistentes tem muito a ver com a promiscuidade sexual de que é expoente máximo a expanção da homossexualidade, e em particular da sodomia, um comportamente e um vício claramente nefasto para a sociedade como foi sempre reconhecido ao longo dos séculos. Para já não falar na fronteira por vezes muito ténue entre homossexualidade, prostituição, pornografia, pedofilia."
    em http://algarvepelavida.blogspot.com/2007/06/vamos-falar-claro-sobre-homosexualidade.html

    A única diferença do Irão é que somos um Estado de Direito Democrático. Olha só a nossa sorte!

    Beijo

    11:57 da manhã  
    Blogger By Alma Nova said...

    Este mundo, amiga, é o mundo que temos de conseguir mudar, um mundo injusto, cruel e desumano. Tu e outras pessoas que falam e lutam para que a Igualdade seja um facto vivido e não apenas algumas palavras num pedaço de papel. Jokitas.

    2:13 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Querida Amiga Maria,
    E como este mundo precisa ser renovado! Acabar com velhos preconceitos, reciclar as mentes das gentes. Informar, consciêncializar, educar sobre o que é a GLBT. Será uma tarefa ingrata, mas como diz o ditado: "Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura". Mesmo que seja preciso uma eternidade... Felismente que não estamos sós; que ainda somos poucos; mas muitos outros estão a juntar-se aos nossos ideais; aos nossos protestos por direitos iguais... Tenho esperança, num "...Mundo justo e digno", amiga! :)

    Bjs!

    9:51 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Siona,
    Tem sempre de haver um "senão" nas nossas vidas... Sendo no Irão a Transsexualidade "legal"; porque tem que ser transitada para a Heterossexualidade? Julgo que não seja para compreendermos a suas mentes; e formas de agirem!

    Como se andar de mão dada com a namorada na rua; fosse um mal para a humanidade. Para muitos até é. Até porque, para alguns, "Uma mulher só é lésbica porque, ainda não encontrou um homem a sério". Absolutamente ridiculo; e fora do real contexto do que é ser lésbica. Este é o mundo em que ainda vivemos; em pleno século XXI; mas cuja evolução, aparentemente foi só a nível tecnológico... :(

    Bjs, rapariga!

    10:09 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Idiota,
    Meu amigo, obrigada sempre pelo teu pronto apoio. São igualmente pessoas como tu; que fazem deste mundo um lugar melhor. Apesar de seres muito jovem; tens uma mente muito madura e aberta; e ainda com uma enorme capacidade para; compreenderes os outros.

    Os teus anti-corpos são fortes, acredita que sim! :))

    Bjs!

    10:17 da tarde  
    Blogger papagueno said...

    Infelizmente a homosexualidade ainda é ilegal em muitos países. Em alguns os homosexuais arriscam mesmo a pena de morte. Das coisas que mais me irritam neste mundo são preconceitos e a homofobia é um dos piores.
    Ainda bem que há sempre pessoas com coragem para lutar contra estas situações.
    Beijinhos

    10:19 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Duca,
    Realmente, não é nada de admirar. Visto o que aqui em Portugal, encontramos nesta "pérola" que aqui deixas-te. Por sinal bem recente... O sr. mostra estar bastante fora da actualidade; sendo que os problemas relativos a doenças sexuais (como a sida); estão a afectar presentemente, mais os heterossexuais, em especial aqueles que estão nas idades superiores aos 60 anos. Aqueles que ficaram viúvos, e que afinal esquecem-se que, deviam de se precaver. Isto porque, as doenças não escolhem idade, sexo ou a preferência sexual. O facto de se ser lés/gay/bi/trans não faz as pessoas serem promiscuas; ou não tomarem medidas para a sua saúde. Ainda o mais grave é este dito sr. comparar a homossexualidade como uma, "... fronteira por vezes muito ténue entre homossexualidade, prostituição, pornografia, pedofilia." Se isto é falar claro sobre homossexualidade, eu vou ali e já venho.

    Pois, tens razão; a única diferença é que estamos, num país com um Estado de Direito Democrático.

    valha-nos a paciência! :(

    Bjs!

    10:58 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Alma Nova,
    Amiga, infelismente só tenho que te dar razão. Obrigada pelas tuas palavras; sendo que tu, também és uma defensora do que está mal, neste nosso belo planeta; tão mal tratado igualmente...

    A igualdade será um dia um facto real e vivido! :)

    Bjs!

    11:13 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Papagueno,
    Pois é, ser ilegal amar! Pena de morte para quem apenas quer ser feliz.

    Todo e qualquer preconceito, deve ser combatido. As ideias pré-concebidas sobre o comportamento de um determinado individuo; só porque tem um credo diferente; raça, cor, sexo; orientação sexual; deviam ser eliminados de uma vez por todas...

    Temos de lutar por aquilo que acreditamos... :)

    Bjs!

    11:25 da tarde  
    Blogger bitter-sweet said...

    Cada vez entendo menos...

    1:57 da manhã  
    Blogger Angell said...

    Bitter-Sweet,
    Pois é, esta vida poderia ser tão simples. Simples e feliz! :)

    Bjs!

    12:06 da tarde  
    Blogger Siona said...

    Angell: no Irão (e também Kuwait e Arábia Saudita) a Transsexualidade é uma maneira de "normalizar" a pessoa. Se se sente atraída por pessoas do mesmo sexo com que nasceu, se tem alguns dos comportamentos associados ao outro sexo, então faz-se a transição, e a pessoa passa a ser "normal", segundo os conceitos da sociedade iraniana para cada um dos géneros.

    Ou seja, só temos direito a fazer a transição se for para depois sermos "normais", e ficarmos curados da nossa "doença". Não surpreendentemente, muitas pessoas LGB sentem-se tão pressionadas, e encurraladas, que acabam por aceitar a transição, que no fundo não desejam, só para poderem ser como são, e a sociedade as deixar em paz, sem medo de forcas nem outras violências.

    Conclusão: se não és "normal", ou te "curas", ou violentamos-te. É este o mundo em que ainda vivemos, mesmo em Portugal. É triste... mas acho que devemos a nós própri@s o dever de resistir, e sobreviver, não importa qual seja a nossa "anormalidade"!

    1:12 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Siona,
    Sabes, eu percebi (mas é um atentado á dignidade do indivíduo, como ser humano; bem como á sua felicidade), a dita "visão" deles; porque não é justo, que as pessoas tenham que se tornar heterossexuais; se não é esse o seu desejo! Ainda mais que caso contrário, não são tidos como "normais". Afinal o que é ser normal? Amar quem nós queremos e sermos felizes; ou quem anda por ai com preconceitos, violências e homofobias? Preocupem-se com as crianças, os idosos, a saúde, a fome, a pobreza, a educação... Tornem este mundo um local melhor para vivermos. Deixem sossegados aqueles que só querem ter os mesmos direitos; e serem felizes. Afinal não somos todos iguais? Ou seremos uns mais do que outros? Pois...

    Temos mesmo que resistir Siona! Eu já percebi que és uma lutadora, por tudo o que já li, pela força que expressas. A união faz a força, e com o apoio uns dos outros, iremos longe, rapariga!

    Fica bem e muita força para ti! :)

    Bjs!

    4:11 da tarde  
    Blogger Memory said...

    infelizmente o mundo ainda não atingiu o humanismo, a aceitação desejaveis para que não haja injustiças. Cabe-nos a nós todos lutar, lutar, lutar para que um dia isso seja possivel, mesmo que não seja possível na nossa geração o possa ser nas próximas. Acredito piamente que ''Esse Dia'' irá chegar.....

    Bjs

    12:07 da manhã  
    Blogger Fogo said...

    Por por estes relatos é que muitas vezes penso no que vai ser de mim e da minha namorada se algum dia formos descobertas...tremo só de pensar...
    Nem mesmo nos paises mais liberais estamos completamente há vontade..estamos destinadas a viver para sempre escondidas com medo de demonstrar o nosso amor...
    Mundo triste..não sabe como me orgulho de ser diferente...

    7:48 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Memory,
    O mundo é realmente injusto; e para atingir esse grau de humanismo; a caminhada ainda será longa... No entanto, como tu diseste, nos iremos lutar e mesmo que não seja na nossa geraçao; iremos desbravar o suficiente, para que venha a ser nas próximas...

    "Esse Dia", irá chegar sim! :)

    Bjs!

    12:39 da manhã  
    Blogger Angell said...

    Fogo,
    Sabes, ter medo é normal. Faz parte da nossa condição de seres humanos. Esses relatos são realmente assustadores, tens razão! Gostarmos de maneira diferente da convencional da sociedade; não nos é muito favorável. No entanto, temos que ser óptimistas; e principalmente tentarmos ser felizes. Se amamos, e somos amadas(os) verdadeiramente; vale sempre a pena lutar por esse amor. Poderá a nossa escolha não ser fácil, mas é isso que somos, e não podemos, ou devemos negar-nos a termos o direito á nossa felicidade...

    Com calma, paciência, inteligência, força, persistência e bom senso; iremos conseguir "sobreviver".

    É isso que tens que pensar rapariga! O quanto esse amor te faz sentir grande. O quanto te orgulhas dele. Sensações só tuas e que tanto te fazem feliz. Na verdade, só isso importa. Não penses tanto e só, no lado negro das coisas, está bem? :)

    Fica bem, muita força!

    Bjs solidários para voces as duas!

    1:02 da manhã  
    Blogger Arine said...

    Infelizmente nesses países (em que a religião é a arma da insanidade) assiste-se a atrocidades a cada momento.
    Se no Irão uma mulher, apenas pelo facto de o ser, já tem uma luta e uma vida de descriminação pela frente, sendo lésbica nem dá para conceptualizar!
    Um aparte, ninguém ama ninguém geneticamente igual a si. Quando muito, os seres que mais se aproximariam dessa definição seriam os gémeos. :) As mulheres têm em comum os mesmo cromossomas sexuais, que são geneticamente diferentes.
    Outro aparte!
    Apenas agora encontrei o teu blog e estou a gostar imenso! Parabéns!

    11:20 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Arine,
    Sê bem vinda ao "Imagine"! :)

    Só hoje é que encontrei o teu comentário! De vez em quando dou uma revista a todos os post! Hoje foi um dia desses! :))

    A religião pode cegar as pessoas!Não as deixar ver o que é o mais correcto...

    Sim, tens razão, "...ninguém ama ninguém genéticamente igual a si". Não existem duas pessoas iguais (nem os gémios o são). Mas sabes que não era a isso que eu queria referir-me... :))

    Obrigada pela simpatia, volta aqui sempre que queiras! :))

    Bjs!

    11:41 da tarde  

    Enviar um comentário

    << Home