terça-feira, fevereiro 27, 2007

  • Angell
  • Colectânia de Contos Lésbicos Feministas

    Colectânea de contos lésbicos feministas
    (algumas respostas a questões entretanto colocadas)
    Envio de trabalhos para
    anabelarocha2005@gmail.com (no corpo do email e não em anexo, por razões de segurança informática) até 31 de Maio de 2007.
    Tamanho: entre 3 a 20 páginas A5
    Género: não totalmente poético, nem totalmente jornalístico - no entremeio vale tudo:)
    O que é lésbico e feminista em português? Diga-me você
    Um conto por autora
    Aceitam-se pseudónimos
    Todos os emails recebidos com textos receberão confirmação de recepção e compromisso de não utilização sem a autorização da autora
    As escritoras assinarão um contrato em que terão direito a 10% (em Portugal paga-se habitualmente 8% ) dum valor mínimo de venda (que será estipulado quando o volume estiver completo e incluído explicitamente no contrato), na proporção do número de autoras incluídas. Ex: 10% dividido por 20 autoras, caso seja esse o número de autoras publicadas. Dos direitos de autor serão descontados 10 euros a autoras residentes em Portugal e 20 a residentes no estrangeiro como forma de custear os exemplares que serão enviados assim como custos de gestão de contratos e correio.Enviarei dois exemplares por correio para cada autora publicada.
    A selecção das autoras a publicar será enviada para as autoras seleccionadas na altura de proposta de contrato de publicação
    Solicitarei uma pequena biografia, de conteúdo livre
    A motivação do projecto é alargar o espaço do dizível de sensibilidade lésbica na língua portuguesa, aceitando e desejando contribuições de lésbicas falantes de português em todo o mundo.
    A edição de cerca de 500 exemplares orçará em pelo menos 1500 euros. Por este motivo dar-se-à prioridade à selecção de originais e o projecto só avançará se forem reunidos número suficiente de textos com qualidade para garantir um mínimo de retorno do investimento - este não é um projecto com fins lucrativos; mas também não é um projecto para deitar dinheiro à rua:)
    Sobre mim: nenhuma experiência literária, senão como leitora. Portuguesa. Activista queer
    Nota: condições sujeitas a eventual alteração por melhor sugestão das autoras

    ______________
    Fonte: Zona Queer
    ______________

    Ainda há tempo para quem quiser participar! É uma boa iniciativa para a divulgação da literatura lésbica. Pensso que as pessoas que sejam bafejadas por terem uma escrita ligeira, com uma boa continuidade em prosa e poema, deviam tentar mostrar os seus dotes! :)

    Boas inspirações!

    14 Comments:

    Blogger Maria said...

    Parabéns pela iniciativa, já é tempo de mudar mentalidades, de agitar esta sociedade de hipocrisia cheia de sonsos e sonsas.
    Beijitos
    Maria

    9:02 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Maria,
    Uma bela iniciativa da Anabela Rocha. As mentalidades ainda estão muito adormecidas, dormentes no seu jogo diário de há eternidades passadas. Fazia bem e saberia melhor, poder "acordar" as pessoas, para a vida, os bons e reais sentimentos; sem culpas, sem preonceitos, sem hipocrisias e outras coisas tais...

    Escrever em tonalidades lésbicas; mostrar que a vida, o amor é Universal; idependentemente da opção sexual. Uma iniciativa a louvar!

    Agora faço a pergunta da Anabela Rocha: "O que é lésbico e feminista em português?".

    Fico a penssar! :)

    Bjs!

    10:00 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Eu queria dizer pensar e não penssar! :)

    10:03 da tarde  
    Blogger wind said...

    Desculpa lá, mas eu sou revolucionári. O que é isso de literatura lésbica?
    São diferentes?
    Escrevem diferentes do heterossexuais, ou dos bissexuais?
    Vocês é que se colocam de parte, pelos vistos.
    Não entendo!

    10:15 da tarde  
    Blogger wind said...

    Outra coisa, o cesariny, o botto e o Belo são gays, a Maria Teresa Horta, Natália correia são lésbica e sempre foram bem aceites como poetas. Isto são só uns exemplos.

    10:16 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Wind,
    A ideia é a de escrever contos cuja temática seja lésbica e publicá-los, é só isso.

    Ninguém se está a por á parte! :)Poetas há muitos, com diferentes orientações sexuais. Isso, para mim é inrelevante, desde que escrevam com sentimento.

    Apenas quiz dar a conhecer esta iniciativa, que julgo ser boa, na medida (tal como os filmes de temática lésbica), aos poucos vão ganhando terreno, dando a conhecer uma realidade que existe.

    Não sei se estou a fazer-me entender. Estou Wind? :)

    Bjs!

    10:56 da tarde  
    Blogger wind said...

    ok:) bjs

    12:04 da manhã  
    Blogger Wonder said...

    embora esta tematica nao me toque particularmente, quero dizer que não compro livros so por terem estorias lesbicas, acho bem que se explore este filão que tem com certeza publico e ainda por cima pode ajudar a abrir mentalidades.
    Bjocas

    12:17 da manhã  
    Blogger Angell said...

    :)

    Bjs!

    8:02 da manhã  
    Blogger Angell said...

    Wonder,
    É isso mesmo! Até digo-te que o meu livro favorito é "O Perfume" de Patrick Süskind. Não tem nada de lésbico; fala de aromas, de cheiros no geral, e estão tão bem descritos; que tens a sensação que os estás a sentir também! :)

    Com certeza, que esta temática irá atrair público, e será ventável. Julgo, no entanto, que o mais importante será dar a conhecer esta realidade; e o abrir de mentalidades.

    Penso como tu, Wonder! :)

    Bjs!

    8:18 da manhã  
    Blogger Maria said...

    For you Angell,
    Quando referi que é uma boa iniciativa de facto deveria ter dito: "Abram as portas a novos valores, divulguem."
    Mas de facto não o fiz, mas rectifico o meu comentário.
    Amar não tem que ter sexo definido, nem etiquetas, nem códigos de barras a definir qual a opção sexual de cada um, essa preocupação só serve para esconder vontades e viver de harmonia com Deus e com o Diabo.
    Eu conheço ambos e posso afirmar que "Eles" nem um pouco se importam com o que fazemos, nem esperam sequer pela nossa chegada para o ajuste de contas, esse é feito com dois metros de terra por cima, e o respectivo retorno ao nada...
    Escrevam, vivam e mandem tudo e todos que vos criticam para o local devido...
    O Mundo da Sonsaria.
    Beijitos
    Maria

    10:04 da manhã  
    Blogger wind said...

    Angell não quis ofender ninguém foi só o meu lado crítico que falou mais alto, tanto que entendi a tua explicação.
    Não tenho problema nenhum em dizer que sou bissexual.
    Só me irrita que tenham de haver rótulos, porque gosto de pessoas e não da sua preferência sexual. Entendes?
    bjs

    2:23 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Maria,
    Amar deveria de ser tão simples como a sede, a fome, o dormir. Algo de natural do nosso organismo, que temos que "alimentar". O amor, quando existe, é uma extensão do nosso ser para o outro que amamos. Ficamos unos, e o amor não conhece barreiras, cores e nem... sexos. O amor, a intenssidade do mesmo, os objectivos; são idênticos na busca da felicidade; e esta resulta independentemente da opção sexual por nós escolhida.

    Por isso é importante como tu referes: "Abram as portas a novos valores, divulgem"

    Divulgem e mostrem que o amor é igual para todos; que não conhece sexos!

    Bjs! :)

    9:22 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Wind,
    Todos nós temos direito a manifestarmos a nossa opinião. Ela pode não agradar a todos, como é natural; mas o principal, é respeitarmos o que cada um pensa. Só conversando é possível chegarmos a conclusões. :)

    Wind, como tu dizes, "...porque gosto de pessoas e não da sua preferência sexual". Ora ai está, o importante é o interior de cada um.

    Todos nós devemos procurar sentirmo-nos completos, e partir em busca desses desejos; mesmo que signifique escalar montanhas, saltar de para-quedas, ir até ao fim do Mundo... :)

    És bissexual, lindo e maravilhoso rapariga! ;)

    Fica bem!

    Bjs!

    9:50 da tarde  

    Enviar um comentário

    << Home