sexta-feira, março 30, 2007

  • Angell
  • OLHOS VERDES

    OLHOS VERDES.
    Olhos verdes de minha inspiração

    Contemplo a sua beleza infinita,
    A cada brilho irradia o meu coração.

    Olhos verdes que espalha a imensa alegria,
    Me refugio neste brilhantismo constante,
    Na espera de uma noite de fantasia.

    Olhos verdes são a minha loucura sem limite,
    Quando os vejo me entusiasmo de desejo,
    Vou a sua direção a cobiçar-te.

    Olhos verdes que continuo a admirar
    Na expectativa que você olhe para mim,
    Contemple os meus olhos que ficam a observar.

    Olhos verdes minha fonte de sobrevivência,
    Desejo-te como a liberdade do sol brilhante,
    Da pureza de uma criança sem malícia.

    Olhos verdes que tanto quero,
    Não me deixe aqui esperando;
    Venha logo ao meu encontro...
    ________________________
    Autora: Graciele Gessner
    ________________________
    Foto: http://atribulacoesdaloira.blogs.sapo.pt/arquivo/olho_verde.jpg
    ________________________

    Graciele mais um belo poema teu, que eu publico! : )

    Todos os olhos são belos, sejam de que cor ou formato forem. São o nosso espelho, a apresentação da nossa alma. Uns olhos meigos e apaixonados; são sorridentes e brilhantes; e "tudo dizem", sem ser preciso formular qualquer palavra!





    10 Comments:

    Blogger wind said...

    Isso é para quem gosta de olhos verdes.lol:)
    Prefiro azuis ou castanhos. eheheh
    Estou a brincar:)
    beijos

    10:20 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Wind,
    Todos os olhos são belos. Se são expressivos e vivos; não é o tamanho nem a cor que os tornam mais atractivos! :)

    O meus são castanhos, cor de mel; talvez por isso que eu goste de olhos verdes, mas não tenho nada contra os azuis e os castanhinhos! No fundo o que importa, é a atracção; o que sentimos pela outra pessoa que mexe conosco; não a cor dos seus olhos! ;)

    Bjs!

    10:56 da tarde  
    Blogger Maria José said...

    E eu prefiro ouvir o que me dizem os olhos, do que as palavras que fluem desenfreadas. :)

    Quanto à cor... tão facilmente desbotada pelo que se esconde sob o manto ténue de um azul retinto, preto como breu, castanho amendoado, verde brilhante...

    11:41 da manhã  
    Blogger wind said...

    É isso Angell, o que interessa é o que se vê nos olhos:)
    beijos

    3:57 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Maria José,
    Os olhos podem dizer tanto... É olhando bem no fundo deles; que vislumbramos a alma de álguém! Eles não mentem!

    As cores do olhar; são só uma diversidade, o núclio dos seus donos é que é verdadeiramente importante! :)

    Bjs!

    9:10 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Wind,
    Ora é isso mesmo! Nem mais! :)

    Bjs!

    9:11 da tarde  
    Blogger Graciele said...

    Olá, Angell!!!
    Fico feliz por ver mais um escrito meu no seu espaço. Entretanto quero informar que este poema é dedicado a um amor de olhos verdes.
    Beijos graciosos,
    Graciele Gessner.

    12:20 da manhã  
    Blogger Angell said...

    Olá, Graciele,
    O facto é que eu gosto dos teus poemas! Eu sei que é dedicado a um amor de olhos verdes. Foi a pensar em alguém de olhos verdes que o dediquei. No entanto, não posso deixar de falar da beleza de um olhar; independentemente da sua cor!

    Bjs!

    12:59 da manhã  
    Blogger Maria José said...

    Reescrevendo: Prefiro ouvir as palavras ditas pelos olhos, do que as que saem da boca de alguém, porquanto as primeiras são, quase sempre, bem mais verdadeiras ;)

    10:05 da tarde  
    Blogger Angell said...

    Maria José,
    Os olhos tanto podem dizer; tanto podem pedir. Como não podem mentir; traem por vezes o que os lábios ditam, bem verdade! ;)

    Bjs!

    1:01 da manhã  

    Enviar um comentário

    << Home